O que é SQL e qual sua importância?

O SQL (Structured Query Language) é uma linguagem de consulta a banco de dados criada na década de 70 na IBM, com base em conceitos da Álgebra relacional . Foi desenvolvida para padronização dos sistemas gerenciadores de banco de dados relacionais existentes.
Não demorou muito e várias outras empresas estavam customizando o SQL e isso começou a gerar grandes problemas. Foi quando a American National Standards Institute (ANSI) em 1986 adaptou e criou um padrão para a linguagem SQL. Por esse motivo é comum vermos falar que um comando é do padrão ANSI, ou seja, ele é “homologado” por este instituto. Ao longo do tempo o SQL foi revisto (1992, 1999, 2003) para incrementar novas funcionalidades e, assim, aumentar a capacidade e poder da mesma.
A importância da padronização do SQL para os SGBD’s, e mais especificamente para quem trabalha com eles é enorme, tendo em vista que por ser um padrão para os bancos de dados relacionais (o tipo de banco de dados mais usado atualmente) é possível, por exemplo, criar uma consulta a um banco de dados Oracle e essa mesma consulta funcione no SQL Server ou no PostgreSQL, entre outros.
Tal possibilidade permite, por exemplo, que desenvolvedores possam construir consultas para a maioria dos casos sem precisar conhecer um determinado banco, ou seja, apenas conhecendo a linguagem SQL é possível fazer uma consulta que funcione em vários bancos diferentes. Isso é muito importante, pois evita sobrecarregar o DBA ou o AD (para conhecer mais o trabalho de ambos clique aqui) com coisas simples, sendo que eles já têm de cuidar de coisas específicas dos seus trabalhos.
Tal poder, capacidade e o mais importante: facilidade, fazem da linguagem SQL hoje um dos maiores sucessos da TI, sendo mais notório quando olhamos para outras áreas que não tem algum meio de padronização, forçando que uma pessoa precise de horas de estudo para fazer coisas simples somente pelo fato de ter de fazê-lo em outra ferramenta.
É lógico que cada SGBD implementa acréscimos na linguagem SQL com o intuito de dar ainda mais poder e consequentemente ter diferenciais com relação aos seus concorrentes. Mas, isso é um assunto para os próximos posts onde iremos mostrar os principais comandos da linguagem, bem como, algumas das principais variações implementadas pelos grandes SGBDs.
Então é isso pessoal, espero que tenham gostado deste post, e não se esqueçam de deixar seus comentários e sugestões. Venham trocar ideias com a gente.

Anúncios

Uma resposta

  1. Belo artigo Júlio. O grande sucesso dos BDs relacionais quando ele foi lançado se deve ao fato de vc poder recuperar os dados sem conhecer a estrutura interna deles. Em BDs hierárquicos ou de rede, isso era não era tão simples. Com a padronização do SQL, tudo ficou melhor ainda.

    O único problema que eu vejo, é que todo desenvolvedor quando começa (eu passei por isso) a escrever instruções SQL, escreve apenas para resolver o seu problema em recuperar os dados e não se preocupa com a performance ou segurança do BD. Com a experiência, isso evolui!

    []s
    Fábio Prado
    http://www.fabioprado.net

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: